segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Complexo do Alemão


Em visita às comunidades, ministra destaca cultura como fundamental no combate à violência
Em sua primeira viagem oficial, a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, visitou, na manhã desta segunda-feira (10), três comunidades do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. Acompanhada pelo vice-governador e secretário de Obras do estado, Luiz Fernando Pezão, e pela secretária estadual de Cultura do Rio, Adriana Rattes, a ministra conheceu os trabalhos desenvolvidos nos Pontos de Cultura Raízes em Movimento, na comunidade Alvorada, e Oca dos Curumins, na Grota. Na ocasião, Ana de Hollanda e a secretária estadual de Cultura assinaram convênio com o Ponto de Cultura Oca dos Curumins, que atua há 25 anos no local.
Considerando a cultura como ponto fundamental no combate à violência, a ministra escolheu o Complexo do Alemão para abrir sua agenda de trabalhos na pasta. No dia 28 de novembro do ano passado, as forças de segurança integradas por militares e policiais civis, militares e federais ocuparam o local, que recebeu uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).
“Com a pacificação, o trabalho vai ser mais tranqüilo”, disse a ministra. “Existem 300 Pontos de Cultura no Rio de Janeiro e estamos trabalhando para dar continuidade a eles. No momento, existe um grupo fazendo estudo aprofundado nas questões sobre estes equipamentos e o Complexo do Alemão está recebendo atenção especial”, afirmou.
A Oca dos Curumins é o primeiro equipamento atendido no local. “Serão R$ 180 mil em recursos para cada Ponto de Cultura, a serem pagos em parcelas anuais, durante três anos”, disse a ministra. Dois terços do convênio assinado são de responsabilidade do MinC; o restante fica a cargo da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro.
“Este é o momento para que vocês olhem não só para o Complexo do Alemão, mas para todas as comunidades que precisam de apoio do estado”, disse “Tia Bete”, coordenadora do projeto beneficiado. Há 35 anos ela atua em projetos na comunidade.
“O Estado se afastou por muito tempo desses locais”, disse Luiz Fernando Pezão, ressaltando a importância de levar não apenas segurança, mas também cultura e saúde à população local. “É um momento muito importante, do ponto de vista simbólico, para a comunidade”, afirmou Adriana Rattes.
Para Alan Pinheiro, coordenador do Instituto Raízes em Movimento, as estratégias implementadas pelos governos federal e estadual promovem mudanças significativas no Alemão: “A memória do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento] é também a memória da mudança dentro do Complexo do Alemão”, disse.
Após conhecer trabalhos de artesanato, teatro e capoeira das comunidades, a ministra Ana de Hollanda visitou o teleférico construído no alto do morro do Alemão, na comunidade Fazendinha – “um novo cartão postal do Rio de Janeiro”, segundo o vice-governador do estado, Luiz Fernando Pezão. No local, soldados do exército monitoram o movimento de cada uma das 14 comunidades da região. Em breve, o local estará aberto à visitação de turistas.
Para o Coronel Antonio Manoel de Barros, responsável pelas ações no teleférico da Fazendinha, a criação de centros de lazer nas estações que estão sendo construídas são fundamentais: “A cultura é um armamento muito mais poderoso que este fuzil”, afirmou.

(Texto: Jean Souza, Comunicação Social/MinC)
(Edição de imagem: Marina Ofugi, Ygor Bernardes, Ascom/MinC)
(Fotos: André Gomes de Melo)

Fonte: www.cultura.gov.br

0 comentários:

Postar um comentário