quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Pontos de Cultura

Representantes da CNPdC discutem com MinC a Carta de Sustentabilidade dos Pontos de Cultura

Representantes da Comissão Nacional de Articulação dos Pontos de Cultura (CNPdC) reuniram-se, na tarde de ontem (2), com o secretário Executivo do Ministério da Cultura (MinC0, Vitor Ortiz, e com a secretária de Cidadania e Diversidade Cultural (SCDC/MinC), Marta Porto, para discutir sobre a Carta de Sustentabilidade dos Pontos de Cultura dirigida ao ministério e a todas unidades da rede no final de novembro de 2010.
No documento, foi elencada uma série de reivindicações que consideram necessárias à continuidade do projeto, como a prestação de contas dos Pontos de Cultura e o pagamento dos editais anteriores a 2011. Na ocasião, Vitor Ortiz explicou sobre a dificuldade orçamentária do MinC em honrar os compromissos anteriores, mas afirmou a prioridade em assumir os compromissos feitos com os Pontos de Cultura. “Temos uma decisão de priorizar os pagamentos aos Pontos de Cultura do Programa Cultura Viva, mas só podemos pagar aqueles que estiverem em situação legal”, enfatizou.
Para Marta Porto, um dos grandes desafios para a Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural é partir para um processo de formulação política que desenvolva uma interlocução das redes da diversidade cultural com as ações do Programa Cultura Viva e Mais Cultura. “Esse diálogo entre os Pontos de Cultura é fundamental, e precisamos alcançar o conjunto da sociedade brasileira, os que são produtores de cultura e os que não são produtores de cultura, incluindo crianças, jovens, mulheres e idosos, um conjunto da população que não está bem representado nos programas”, explicou.
A coordenadora do Ponto de Cultura da Comunidade Educacional de Pirenópolis (Coepi), Patrícia Ferraz, explicou que há um grande interesse da comissão em continuar com a ideia de gestão compartilhada dentro dos Pontos de Cultura e enfatizou algumas propostas essenciais para o programa, como o esforço da cultura digital de estabelecer um cadastro nacional dos pontos de cultura e a proposta de se ter um sistema de comunicação transparente.
Para o coordenador do Pontão de Articulação Nacional dos Pontos de Cultura, Mário Lima, os Pontos de Cultura assumem um papel essencial na Política Cultural. “O próximo passo deve ser organizar e dar independência aos pontos por meio de uma gestão compartilhada. Estamos no momento de fortalecer a rede e consolidar o programa”, defendeu.
Pontos de Cultura
Ponto de Cultura é a ação principal de um programa do Ministério da Cultura chamado Cultura Viva, concebido como uma rede orgânica de gestão, agitação e criação cultural. O Ponto de Cultura não é uma criação de projetos, mas a potencialização de iniciativas culturais já existentes. Em alguns pode ser a adequação do espaço físico, em outros,  a compra de equipamentos ou, como a maioria, a realização de cursos, oficinas culturais e produção contínua de linguagens artísticas (música, dança, teatro, cinema, capoeira, entre outras).
Os projetos selecionados funcionam como instrumento de pulsão e articulação de ações já existentes nas comunidades, contribuindo para a inclusão social e a construção da cidadania, seja por meio da geração de emprego e renda ou do fortalecimento das identidades culturais.

 

0 comentários:

Postar um comentário